App SUPERCASA - Descobre a tua nova casa
App SUPERCASA
Descobre a tua nova casa
Abrir
Noticias do Mercado Imobiliário
Categorias
Imobiliário

Economia: Afinal, o que é a Inflação?

24 NOVEMBRO 2022
Saiba o que é e qual o seu impacto no poder de compra do consumidor.
Fonte: Pexels
Autor: Redação

Muito se tem falado sobre a inflação, trazendo este termo para os assuntos na ordem do dia. Por um lado, existe uma preocupação crescente por parte dos consumidores que veem o seu poder de compra cada vez mais reduzido. Por outro, continuamos a assistir à ineficácia das medidas anunciadas pelo Banco Central Europeu (BCE) numa tentativa de conter o aumento da inflação.

Mas, afinal, que é a Inflação?

A inflação não é mais do que a subida generalizada dos preços dos bens e serviços. O termo inflação refere-se ao aumento generalizado do nível de preços de bens e serviços numa economia durante um determinado período de tempo e acaba por ser um fenómeno natural que ocorre quando há um desequilíbrio entre a oferta e a procura. Como consequência direta da inflação, verifica-se uma perda no poder de compra do consumidor. Ou seja, com o mesmo dinheiro disponível num cenário anterior a uma situação de inflação, o consumidor verifica que tem menos capacidade de adquirir bens e serviços.

Para atingir os seus objetivos de crescimento económico, as diferentes economias do mundo dispõem de ferramentas para ajustar as políticas fiscal e monetária. A política monetária é regulada pelos bancos centrais, cujo objetivo principal é a estabilidade de preços, ou seja, o controlo da inflação. O objetivo da maioria dos Bancos Centrais do mundo é garantir um certo nível de inflação. No caso das economias desenvolvidas, esse objetivo é público e aproxima-se de 2%, como é o caso da Reserva Federal ou do Banco Central Europeu.

Como calcular a Inflação?

A inflação pode ser calculada de diferentes formas, mas os indicadores mais utilizados neste cálculo são o Índice de Preços do Consumidor (IPC) e o Índice de Preços do Produtor (IPP):

Índice de Preços do Consumidor (IPC) - O índice de preços do consumidor mede a variação percentual dos preços de um cabaz de bens e serviços frequentemente utilizado pelas famílias. Este indicador económico é amplamente utilizado na maioria dos países do mundo, tendo em consideração que, em diferentes países, haverá diferenças neste cabaz com base no qual o indicador é calculado.

Índice de Preços do Produtor (IPP) - O índice de preços do produtor é uma medida de inflação composta por um conjunto de índices que medem a variação média dos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços ao longo do tempo.

Que tipos de Inflação existem?

Deflação - Quando identificamos uma situação económica de inflação negativa, estamos perante uma situação de deflação. Este é um fenómeno raro e geralmente está relacionado ao excesso de oferta e uma procura insuficiente. Geralmente, a deflação está associada a situações de recessão económica e/ou depressão de uma determinada economia, sendo a própria, muitas vezes, resultado de um período desestabilizador de hiperinflação de uma economia.

Hiperinflação - Quando a inflação é elevada, designamos este fenómeno de hiperinflação, sendo este um tipo indesejado de inflação para a economia. Trata-se, assim, de um tipo de inflação muito alta e normalmente acelerada e que contribui para uma rápida desvalorização do valor real da moeda, à medida que os preços de todos os bens aumentam.

Quais as consequências da Inflação?

A principal consequência da inflação para os consumidores é, naturalmente, a perda de poder de compra. Por esse motivo é que, na definição dos aumentos salariais, o valor da inflação deve ser tido em conta, de forma a que os trabalhadores não percam o seu poder de compra. O que pode acontecer é que o banco central perde a capacidade de influenciar a economia por meio da política monetária e muitas vezes leva a um declínio acentuado no bem-estar da sociedade.

Quais as consequências da Deflação?

A descida da generalidade de preços aumenta no imediato o poder de compra dos consumidores. Contudo, uma descida prolongada no tempo pode ser prejudicial à economia. Isto porque pode incentivar o adiamento do consumo, com os consumidores a esperar que os preços desçam ainda mais. Por seu lado, as empresas tendem a adiar os seus investimentos. Ou seja, a deflação pode levar a uma estagnação económica.

Quais são as causas da Inflação?

Há muitas razões que podem impulsionar os preços numa economia para cima ou para baixo. No entanto, a inflação é geralmente o resultado de um aumento nos custos de produção ou um aumento na procura por produtos e serviços. Deixamos-lhe aqui dois exemplos:

  1. A inflação por um aumento dos custos ocorre quando os preços sobem devido ao aumento dos custos de produção (matérias-primas, salários, etc). A procura de bens mantém-se inalterada à medida que a oferta diminui, num contexto de custos de produção mais elevados. Como resultado, o custo adicional de produção é transferido para os consumidores como preços mais altos.
  2. A inflação da procura é causada pelo aumento da procura do consumidor por um produto ou serviço ou quando os consumidores tendem a pagar mais por um produto ou serviço. Em ambos os casos, o preço de um produto ou serviço aumenta.

Continue a acompanhar as notícias de economia a par e passo com o SUPERCASA:

 


Notícias mais lidas
Queres receber as últimas Super Notícias?
pixel pixel